The Social Network for meeting new people
 
  • VIVIMETALIUN

    http://www.hi5.com/ShidaMurselff

     

    4304 times

    vintage

    June 4, 2010

     

    Female

    Português - Brasil

    Black

    Christian

    Straight

  • About Me

    • "E no meio dessa confusão alguém partiu sem se despedir; foi triste. Se houvesse uma despedida talvez fosse mais triste, talvez tenha sido melhor assim, uma separação como às vezes acontece em um baile de carnaval — uma pessoa se perda da outra, procura-a por um instante e depois adere a qualquer cordão. É melhor para os amantes pensar que a última vez que se encontraram se amaram muito — depois apenas aconteceu que não se encontraram mais. Eles não se despediram, a vida é que os despediu, cada um para seu lado — sem glória nem humilhação."

    • Vaga no azul amplo solta vai uma nuvem errando... (Fernando Pessoa) Vaga Vai uma nuvem errando. O meu passado não volta. Não é o que estou chorando. O que choro é diferente. Entra mais na alma da alma. Mas como no céu sem gente A nuvem flutua calma. E isto lembra uma tristeza E a lembrança é que entristece Dou à saudade a riqueza De emoção que a hora tece. Mas em verdade o que chora Na minha amarga ansiedade Mais alto que a nuvem mora Está para além da saudade. Não sei o que é nem consinto À alma que o saiba bem. Visto da dor com que minto Dor que a minha alma tem. Vaga Vai uma nuvem errando. O meu passado não volta. Não é o que estou chorando. O que choro é diferente. Entra mais na alma da alma. Mas como A nuvem flutua calma. E isto lembra uma tristeza E a lembrança é que entristece Dou à saudade a riqueza De emoção que a hora tece. Mas o que chora Na minha amarga ansiedade Mais alto que a nuvem mora Está para além da saudade. Não sei o que é nem consinto À alma que o saiba bem. Visto da dor com que minto Dor que a minha alma tem.

    • VIVIMETALIUN (vivimetaliun) Localização: Kyzyl-Kiya Eu sou essa pessoa, a quem o vento chama, a que não se recusa a esse final convite, em máquinas de adeus, sem tentação de volta. Todo horizonte é um vasto sopro de incerteza. Eu sou essa pessoa a quem o vento leva: iá de horizonte libertada, mas sozinha. Se a Beleza sonhada é maior que a vivente, dizei-me:não quereis ou não sabeis ser sonho? Eu sou essa pessoa a quem o vento rasga. Pelos mundos do vento, em meus cílios guardadas vão as medidas que separam os abraços. Eu sou essa pessoa a quem o vento ensina: "Agora és livre, se ainda recordas." Eu sou essa pessoa, a quem o vento chama, a que não se recusa a esse final convite, em máquinas de adeus, sem tentação de volta. Todo horizonte é um vasto sopro de incerteza. Eu sou essa pessoa a quem o vento leva: iá de horizonte libertada, mas sozinha. Se a Beleza sonhada é maior que a vivente, dizei-me:não quereis ou não sabeis ser sonho? Eu sou essa pessoa a quem o vento rasga. Pelos mundos do vento, em meus cílios guardadas vão as medidas que separam os abraços. Eu sou essa pessoa a quem o vento ensina: "Agora és livre, se ainda recordas."